A aventura das palavras... das palavras... as palavras... as palavras

A aventura das palavras... das palavras... as palavras... as palavras
São o chão em chamas onde as lavras

quinta-feira, novembro 12, 2009



A descoberto da sombra a luz
Procura teu corpo de mar e sol
Percorrendo o negro de uns olhos nus
Com que te vejo sob o lençol
Branco de minhas velas empoladas
Ao vento das vozes desejadas.


Tens no teu corpo o crioulo invencível
Que transforma o chumbo em ouro
E no leito de teus sonhos o louro
Das vitórias sobre o impossível;
E alcanças até com teus medos
Aquilo que outros querem sôfregos
Com o poder e raiva de seus dedos...



Mas não só quando altiva desfilas
Entre as demais se nota o queixume,
Diferente é também o perfume
Solitário dos beijos que destilas
Em vapor de subir ainda além
Do céu, do sonho e do amor
: ÁMEN!!


És prece pagã, noite bárbara
África morena em pleno dia
Escorrendo música do andar,
Ritmo da terra, beijo de mar,
Incêndio lúdico na tártara
Obrigação de ser a poesia.


E talvez por isso sempre também
Quando da noite procuro a luz
Sejam teus olhos que de longe vêm
Dar-me a esperança pela cruz
Que te dei no tempo do ainda
Pura do pecado que nos finda.

2 comentários:

olga disse...

Igual a si mesmo...(é um elogio!)

j maria castanho disse...

Ok. Acredito. Até porque, como elogio, de entre todos os elogios que uma pessoa pode receber, esse é o mais condigno e desejável. E, por vir de si, uma honra ímpar! Obrigadão